Árbitros ameaçam boicote aos jogos
  • Árbitros ameaçam boicote aos jogos

    Vários árbitros dos quadros distritais da AF Braga estão a entregar, nos serviços do Conselho de Arbitragem, pedidos de dispensa para os últimos dois fins-de-semana de Novembro, reclamando o aumento dos prémios de jogo.

    «Se antes existia um pagamento pelas despesas que os árbitros tinham, hoje, na grande maioria dos casos, já não cobre sequer isso. E os árbitros, embora conscientes da realidade do país, do futebol em geral e da AF Braga, não estão na disposição de continuarem como parente pobre da organização», referem.

    Além de se mostrarem indisponíveis para dirigir jogos nos fins-de-semana de 17/18 e 24/25 de Novembro, os árbitros vão deixar de preencher os relatórios de jogo na plataforma “Score”, que o Conselho de Arbitragem introduziu esta temporada, fazendo-o apenas em papel.

    A tomada de posição dos árbitros, que pode forçar uma paralisação das provas distritais, surge depois de vários contactos dos Núcleos de Árbitros e da Associação de Árbitros de Futebol de Braga com a Direcção da associação, liderada por Manuel Machado, em que as duas partes não chegaram a entendimento sobre a actualização das remunerações dos juízes de futebol e de futsal e ainda dos observadores.

    Os árbitros pretendem que a AF Braga aumente, no caso do futebol, as remunerações em 12,5% este ano e outros 12,5% no próximo ano em todos os jogos de camadas jovens (juniores, juvenis, iniciados e futebol 9).

    No futsal, reivindicam um aumento do prémio dos jogos de futebol de formação em 10% no próximo ano. Na presente época, os prémios das camadas jovens aumentarão para 25€.

    Em 2016, a AF Braga aumentou as remunerações para os árbitros no futebol e futsal sénior e em 2017 no caso dos observadores. Essas medidas, no entanto, «não foram suficientes para apagar anos e anos de falta de compensações e atenção da AF Braga, nem chegaram para cobrir, ainda que parcialmente, o brutal aumento do custo de vida», segundo os árbitros.