António Barbosa anuncia saída
  • ????????????????????????????????????

  • António Barbosa anuncia saída

    ????????????????????????????????????

    O treinador amarense António Barbosa anunciou, esta segunda-feira, no seu “Facebook”, a saída do comando técnico do Vilaverdense FC, clube que orientou nas últimas duas temporadas.

    Num longo texto, o técnico destacou o rendimento desportivo obtido e mostrou-se grato pelo que viveu, «apresentando o mais sincero agradecimento» a todos aqueles que fizeram parte do “staff” e aos adeptos.

    «Agora, num misto de orgulho e de tristeza, percebo que o tempo chegou. Sou forçado a dizer adeus porque o passado me empurra para a frente, para um novo desafio, para uma nova viagem não posso deixar de procurar», escreveu.

    Leia o texto na íntegra.

    «Um dia tudo começa.

    A 26 de maio de 2016 o telefone tocou. Era o Eduardo Milhão:

    – “Eu e o Miguel vamos para o Vila! Queres ser o nosso treinador?”

    Aceitei o desafio, carregado de ambição, mas não podia imaginar que estava iniciar uma viagem que me traria tanta alegria e aprendizagem, tanto sucesso, e até alguma história escrita.

    O Vilaverdense registou a sua melhor classificação de sempre e tornou-se uma das 8 melhores equipas do Campeonato de Portugal; também alcançou o melhor desempenho da sua história na Taça de Portugal, ao colocar-se entre as 16 melhores equipas, caindo apenas em Alvalade.

    Mas o Vila foi mais do que isso, foi uma equipa de qualidade, com um extraordinário compromisso com o jogo, batendo sucessivamente os seus recordes ofensivos, para registar duas vezes o melhor ataque da Série A e, até, o melhor ataque do país. O Vila bateu o seu máximo de vitórias e de pontos e chegou a estar um ano inteiro a vencer na Cruz do Reguengo.

    Sim, o Vila tornou-se significado de vitórias e a nossa casa encheu-se de apoio, semana após semana, numa comunhão que tornou a equipa mais e mais forte, para se transformar no “tomba gigantes”, humilde e ambicioso, que encantou o País. Como crescemos, quanto trabalhámos, como jogámos! Tal como pedia aos jogadores, atingimos o “TAMANHO DOS NOSSOS SONHOS”. E a Vila sonhou ao nosso lado.

    Com trabalho e empenho, com talento e preparação, vencemos as dificuldades que ninguém imagina. Crescemos para nos tornarmos melhores. Este processo de superação e de crescimento, em partilha e em grupo, é o maior orgulho de um treinador. É isso que guardamos, até mais do que um resultado…

    Um dia tudo começa, mas um dia tudo acaba também.

    Por mais belas que sejam as viagens, todas elas têm sempre um epílogo. Também a minha viagem no Vila chegou ao fim. Hoje, enriquecido por tudo aquilo que aprendi, grato por tudo aquilo que vivi, cumpre-me anunciar o adeus apresentando o mais sincero agradecimento. A todos sem exceção. Aos diretores Monarca e Vítor, ao Sr. Cruz, ao Armando, Cláudio e Nuno, aos adeptos, aos apoiantes e à Mancha Verde, a toda a equipa do Bola P’ra Frente, aos estagiários, aos meus companheiros da equipa técnica, ao departamento médico… e acima de tudo aos principais responsáveis de todas as nossas conquistas, os jogadores, liderados pelo grande capitão e sub-capitães. Obrigado a parabéns a todos, por serem extraordinários nessa competência que é saber sonhar sempre com os olhos abertos.

    Por fim, gostaria obviamente de agradecer particularmente ao Presidente da Direção, Eduardo Milhão e ao seu filho Miguel Milhão, pelo convite que me endereçaram. Foi esse desafio que me permitiu deixar tudo para tás, mudar a minha vida e fazer aquilo que mais gosto. Há pessoas que dão asas e nos permitem voar, estes senhores são o exemplo disso. São eles os responsáveis de uma viagem que não trocava por nada.

    Agora, num misto de orgulho e de tristeza, percebo que o tempo chegou. Sou forçado a dizer adeus porque o passado me empurra para a frente, para um novo desafio, para uma nova viagem não posso deixar de procurar. Até uma próxima paragem. Onde recordarei sempre onde tudo começou.

    Um abraço sincero a todos os que comigo partilharam o melhor Vila da sua história.

    Muito obrigado a todos. Por tudo!

    Força Vila!».